sábado, 28 de dezembro de 2013

Catástrofe de Emoção

O seu coração
vence sempre a razão,
faz dela  o que ela é,
uma catástrofe de emoção;
Cai,
fere-se,
chora,
grita,
e aninha
até que os destroços de guerra
pousem em terra,
firme.
Depois levanta-se
combalida,
dorida,
de sorriso
aberto,
olhos fechados
e mãos dadas
à vida.
Sabe-se igual a si mesma,
continua fiel
à sua essência de menina,
ingénua e genuína.
Não carrega no ventre
maldade,
rancor,
ódio,
nem instinto de vingança,
só esperança
e um sentimento maior,
que guarda a sete chaves
no seu cofre afetivo,
à espera de ser aberto e consumado
pelo sentimento
daquele que foi por ela escolhido.

As essências não se escondem atrás de máscaras,
tem cheiros demasiado intensos e fortes

que deixam marcas e saudades por onde passam.

2 comentários: