domingo, 17 de abril de 2011

Oh Poeta!























Oh Poeta!
Oh Alma inquieta
Procura sem descoberta
Que trazes Tu, hoje na paleta?
Uma tela imperfeita
Uma aguarela desfeita
Quiçá?!
Uma flor,
Uma qualquer,
Talvez um Malmequer
Que te quer, ora não te quer…

Oh Poeta!
Oh Vedeta da Palavra
Teia da Letra Adornada
(A)fio e contra-afiada

Oh Poeta!
Oh Alegria Ferida
Lagrima tecida
na Dôr consentida

Oh Poeta!
Oh Coração Aberto
Percorres o Mundo
Por caminho Incerto

Oh Poeta!
Oh Licor do Pecado
Retórica do mel eivado
no cálice do corpo velado

Oh Poeta!
Oh Inocência Perdida
Homem da Vida
da Vossa e da Minha

Oh Poeta!
Oh Poção de Magia
Faz me tua Musa, tua Rainha
Nem que seja por um Sol dia

Sandra Louçano

video                                                        

"Mother Nature" - Hurts

Sem comentários:

Enviar um comentário