terça-feira, 11 de agosto de 2020

CHCF 11/08/2020

Excepcionalmente, hoje deixaram-me vê-lo.
Acedi ao jardim do Centro de Dia do Alzheimer do Centro Hospitalar Conde Ferreira para o ver do exterior, através de uma janela de guilhotina antiga, reabilitada.
Estava sentado numa cadeira de rodas, próximo da janela, de corpo curvado sobre sim mesmo e sondado (para ser alimentado), e precisou de colaboração da enfermeira Cândida para que a interação entre pai e filha fosse bem sucedida.
Estava sonolento e prostrado, mas ainda assim, com um esforço sobre-humano cantou os parabéns pelo seus setenta e nove anos e atirou-me um beijinho num sorriso palido e esmorecido.

Este dia já ninguém nos tira, Zé, nem o maldito Covid 19!
Para o ano, se vida houver, cá estaremos novamente para comemorar o teu 80 aniversário, caso contrário, o teu legado está devidamente delegado❤️, até porque enquanto memória minha houver, ninguém te vai esquecer.

Parabéns Zé 😊🎂🍾

2 comentários:

  1. Sabes, nunca tive o meu, Quim, internado, esteve sempre connosco, mas uma sombra do que era, e era isso o que mais me doía. Era uma alegria, quando me chamava com o nome da mana mais nova, era sinal que, mesmo confuso, ainda se sabia pai. Deixou-nos muito cedo, cedo demais, ainda na casa dos sessenta.
    Parabéns, sr.José, que para o ano, a filhota já possa dar-lhe um beijinho.

    Beijinho, para ti tamb+em, Sandra

    ResponderEliminar